Os Valores Cooperativos e a Nossa Comunidade

sexta, 14 março 2014 00:00 Escrito por 
Classifique este item
(0 votos)

valores

Prezados Associados e/ou Moradores

A comunicação regular entre Direcção e Comunidade sempre foi uma ambição que, por vários motivos, foi sendo adiada. Com a emissão do segundo número do boletim, é minha convicção, estão criadas as condições de funcionalidade para que se consolide este meio de ligação entre todos. Esta vontade que nos anima só faz sentido se tiver colaboração e cumplicidade de toda a comunidade.

O corporativismo representa a união entre pessoas voltadas para um mesmo objectivo. Através da cooperação, procura-se satisfazer as necessidades humanas e resolver os problemas comuns. O fim maior é o homem, não o lucro. Uma organização dessa natureza caracteriza-se por ser gerida de forma democrática e participativa, de acordo com aquilo que pretendem os seus associados. Este é o nosso critério e o boletim é também resposta à sugestão de muitos associados. Temos de nos conhecer melhor: saber quais as ambições e dificuldades diariamente

vividas, o que fazemos e qual o contributo que cada um pode dar à comunidade, que necessita de iniciativas que nos aproximem. Considerando que as cooperativas são desenvolvidas para, em princípio, servir aos seus associados, podemos dizer que, num primeiro momento, a boa gestão cooperativa é aquela que procura assegurar a importância da cooperação, e procura garantir o alcance dos seus resultados, através de uma conexão entre os associados,

a Direcção da Cooperativa e comunidade em geral, de forma revelar o seu perfil democrático, a responsabilidade dos dirigentes, os direitos e deveres dos associados, o controle interno, a condução dos riscos inerentes ao desenvolvimento da própria actividade, a solução dos conflitos de interesses, o impacto social e a necessidade de preservar a identidade cooperativa. Tudo isto com o objectivo de se promoverem cooperativas sólidas, competitivas, transparentes e confiáveis.

Os princípios referidos, em nosso entender, seriam suficientes para justificar uma relação permanentemente activa com a nossa

cooperativa. Mas, lamentavelmente, assim não acontece!
Para reflexão, ainda que de forma breve, deixo dois outros motivos que justificam o contributo de todos:

1o - Associado à construção da habitação, que adquirimos a um preço cooperativo, está um custo permanente, e durante anos, com as garantias bancárias a favor da Câmara Municipal e outras entidades, como garante da boa execução das infra- estruturas. Lembro que ainda existem garantias emitidas referentes à 1a fase.

2o - Mesmo sabendo que ainda temos muito para fazer, o trabalho e custo com a manutenção dos espaços verdes é suportado pela Cooperativa, e não é assim tão pouco!

A consolidação dos valores (solidariedade e equidade) como base do principio cooperativo e da nossa acção precisa do contributo de todos. Somente assim a cooperativa crescerá e cumprirá com seu papel social e económico.

Fernando Moura e Silva

Presidente da Cooperativa 

Ler 880 vezes Modificado em domingo, 23 março 2014 02:12